• Tatiana Hiromi Matsuo

    Earned her Bachelor's Degree at Physical Education in 97-Brazil, where she worked 8 years as Gymnastics coach. She did her Pilates Certification by Polestar Education 2002-2003 and specialized her studies in Holistic Therapies for Chronic Pain Treatment. Tatiana deepen her spine knowledge with the Advanced Spine Course by Polestar Education and also working on a Rehab Clinic in the US for almost 3 years. That's where she developed the CranioSacral Therapy along with Reiki and Pranic Healing associated with Pilates on Pain treatment. From 2000 to 2003 Tatiana suffered from Fibromialgya and strong pain at her sternum despite a big emotional stress. The inflammation caused several erosions on her chest bone not being able to be diagnosed or treated by any doctor in Brazil. It was through Pilates that her chronic pain was reversed and was healed, being able to get strong again. She says, " all my suffering and recuperation help me today on my client's treatment, because I know how they fell". The experience of healing from Chronic Pain helped her on the understanding of Pain Process related on Body's pain memory and how to erase it. Nowadays she works at Estudio Paulista de Pilates at Faria Lima - São Paulo, and also at her own Pilates Studio (Zona Sul - São Paulo), she does home classes as a Personal Trainer - Pain Emergency Care. She enjoys dancing and hiking, " the nature's contact energizes me".
  • Erika Alvarenga

    Clinical and Sports Nutricionist, graduated at São Camilo, specialized on Exercise Physiology at USP.

Costochondritis

I’ll be translating soon… meanwhile you may try to use a translator… 

Se você tem dores no peito ou dores na parede do tórax, você poderá estar sofrendo de uma Costocondrite. Ela consiste numa dor causada pela fragilidade da cartilagem que liga as costelas ao esterno. Pode vir acompanhada de inflamação do manúbrio esternal, onde uma tomografia poderá mostrar pontos de erosões no osso devido a esta inflamação. Pode ser identificada pela pressão sobre alguns pontos ao longo da margem do esterno, verificando-se uma fragilidade e uma suavidade nestas pequenas áreas que estarão doloridas e sensíveis ao toque. É normal também apresentar quadro de Fibromialgia com o passar dos anos, onde a pessoa apresenta um alto número de pontos de dor pelo corpo todo. (leia também DOR – Como viver sem ela?)

Dizem que a Costocondrite pode se curar por si própria após meses ou anos… que pode ser aguda ou crônica… e que não existe uma causa determinada. Os médicos parecem meio perdidos nesse assunto… mas, eu gostaria que vocês soubessem e por favor transmitam caso conheçam alguém sofrendo do mesmo mal, que eu curei as minhas dores através do Pilates… reaprendendo a respirar. Não só me curei como já ajudei muitos através da respiração e da Terapia CranioSacral. Pessoas que tomavam diferentes remédios para poder suportar a dor os quais de nada adiantava. Que ouviram de médicos:”não há mais nada que eu possa fazer por você, você vai ter que aprender a conviver com essa dor!” e ficaram depressivos e desenganados…

MAS HÁ SIM UMA SOLUÇÃO!!!

A minha estória vai ajudar a entender o processo da dor e como pude encontrar a luz no final do túnel, por favor leia até o final pois apesar de que cada um tem um estresse diferente como fator inicial de tensão, o processo de agravamento é o mesmo:

Eu sofri mais de 2 anos de tudo isso, costocodrite, erosão no esterno, fibromialgia. Parei de trabalhar devido ao enfraquecimento do membro superior, mal podia lavar louça de tanta dor. Espirrar era o fim do mundo, eu sentia o esterno bater na pele como se estivesse fraturado – solto. Na verdade, ao passar dos anos ele praticamente estava, pois a erosão no manúbrio esternal foi tão grande que o meu ortopedista me encaminhou a um oncologista. Eu me tratava com um médico Reumatologista sem muitos resultados, cheguei a tomar um remédio que podia causar depósitos na retina o que comprometeria minha visão… Bom, o oncologista pediu uma biopsia para descobrir se não era Tuberculose no osso, mas os resultados foram os seguintes: tecido fibroso, isto é, tecido inflamado comum numa artrose ou artrite. Voltei a um outro reumatologista, mas este se recusou a me tratar! “Isso não é artrite-artrose!”

Tudo começou com o estresse vivido no meu casamento, foi um relacionamento difícil, meu ex-marido era agressivo, bebia demais e eu passava por muitas situações de nervoso. Depois tive um filho e acabamos nos mudando para o Japão onde, segundo o meu ex-marido tudo iria melhorar pois ele iria ter melhores condições. Claro que isso nunca aconteceu e após alguns meses de uma vida infernal, ele conseguiu aceitar que se não nos separássemos ele iria acabar me matando por eu não aceitar as atitudes dele. Apesar dele ter me agredido na ocasião, eu consegui voltar ao Brasil com meu filho que naquela época tinha apenas um ano. Como sempre o carregava no colo, comecei a ter dores nas costas e no peito, apenas dores musculares. Voltei ao Brasil e logo arrumei um trabalho como professora de Ginástica Olimpica, minha antiga profissão. Alguns meses de trabalho e as dores foram aumentando cada vez mais… e um ano depois tive que sair de licença saúde por não aguentar mais de tanta dor. Não conseguia nem dormir direito. Uma médica até me receitou anti-depressivos na tentativa de me fazer relaxar e dormir melhor para apagar a memória da dor. Mas alguns dias de dependência do remedio me assustaram e resolvi parar. O pior é que, não trabalhar não ajudou a melhorar,  parece que a gente fica mais depressiva e só foi piorando. Após o diagnostico da biopsia como sendo uma artrose, recebi uma orientação de uma amiga terapeuta holística, que disse que segundo Louise Hay, artrose está ligada a um sentimento de ódio. Logo pensei no meu ex-marido… mas eu nao sentia nenhum ódio por ele… já o tinha perdoado… mas esse pensamento ficou em minha cabeça até o dia em que ele voltou do Japão e logo conseguiu o meu telefone e me ligou. Ao conversar comigo como se nunca tivesse feito nada errado e fosse meu melhor amigo, todo aquele sentimento voltou e após desligar o telefone, fui ao meu quarto onde me deparei com a bagunça que meu filho havia feito com tinta a óleo, pintando as mãos e pés, cama, chão, tapete, lençol… estava tudo pintado! adivinha… foi aí que a ficha caiu… eu tinha transferido aquele sentimento de ódio pelo meu ex-marido para outras coisas e acontecimentos… meu peito se espremeu tanto, se contraiu de tal maneira que ficou evidente o que eu estava fazendo com o meu corpo! É como se o corpo aprendesse a se contrair em reação a uma determinada situação e nunca mais desaprendesse… e eu fui reparando que a toda a hora do dia eu repetia o mesmo padrão de contração para situações simples, mesmo qdo eu derrubava água, que não mancha e nem faz sugeira, eu só tinha que secar… estar atrasada… trânsito… se meu filho não me obedecesse… qualquer coisa!

Mas o que fazer?

Bom, a solução foi a seguinte… eu aprendi a respirar, aprendi a relaxar o corpo… e eu me pegava prendendo a respiração constantemente… e qdo isso acontecia, já estava com tanta dor! Inspirar, nem pensar!!! Eu tinha que parar… demorava alguns segundos e depois eu soltava o resto do ar que tinha no peito deixando o esterno relaxar… para só aí poder inspirar… e bem pouquinho… nada de respirar muito fundo porque eu travava de tanta dor… após algumas respirações tudo ia relaxando e a dor ia desaparecendo e se dissipando… tinha dias ruins com muita dor e dias melhores… A fluidez dos movimentos do Pilates me ajudaram a diminuir o estresse, fui realizando os exercícios com quase nenhuma carga ou resistência, gradualmente melhorei minha força sempre respeitando meus limites, tudo muito pequeno no começo, poucas repetições e muita respiração. Hoje estou mais forte do que nunca e posso apertar meu esterno sem ter dor alguma. É como se o osso tivesse voltado a ser como era antes! Porém, por incrível que pareça, ainda hoje, após tantos anos, às vezes  me pego prendendo a respiração em situações de estresse e tensão… com uma pequena diferença, agora o meu corpo logo reclama e me avisa de que algo está errado e logo volto a respirar…

A chave da melhora foi estar sempre prestando atenção nas minhas reações durante o dia… para poder transformar a minha forma de reagir frente a uma situação difícil. Às vezes eu me pegava gritando com meu filho, nervosa e de repente eu ia falando pra ele ” mas porque eu estou falando assim, com essa gartanta toda presa, tão irritada” e com o tempo fui encontrando uma nova maneira de agir e de falar mesmo quando precisava ser mais firme com ele. É como meditar durante o dia… pois não adianta meditar e se relaxar em casa e depois sair no trânsito xingando a Deus e ao mundo!

Pense nisso…

Se você se perceber durante o dia e conseguir se transformar, isso irá diminuir o seu nível de estresse, ajudar a baixar a pressão e poderá diminuir até dores de cabeça. Numa situação difícil pense assim… se não há nada que eu posso fazer por que me preocupar? e se posso fazer algo, então não há porque me preocupar… se está atrasado, peça desculpas… ficar nervoso não vai adiantar. Acredite que o que tem que ser vai acontecer… e viva a vida um dia de cada vez.

Por isso… R E S P I R E ! ! !

(leia também o artigo que escrevi sobre a Respiração  e  DOR – Como viver sem ela? )

By Tatiana Matsuo

How to stop eating…

I’ll be translating soon… meanwhile you may try to use a translator… 

Para a compreensão da nutrição é necessário entender um dos mecanismos da fome e da saciedade!

O hipotálamo é a área cerebral responsável tanto pela fome como também pela saciedade. Quando o indivíduo sente fome (esta acontece geralmente após 4 horas da última refeição) ele precisa alimentar-se. Isso é saudável e necessário.

Ao alimentar-se, o estômago irá distender e quando chegar ao tamanho que está acostumado, enviará uma mensagem ao hipotálamo, avisando-o que já está saciado e que não precisa mais comer.

Pessoas com tendência a comer maior volume, por “n” razões, o estômago se distende mais do que o habitual e demora mais portanto para  enviar essa mensagem. Se esse procedimento se repetir muitas vezes, o estômago vai se distendendo cada vez mais e sempre ficará aguardando a distensão máxima para enviar a mensagem de saciedade.

O tempo que essa informação leva  em média é 20 minutos, tempo suficiente para fazermos um grande estrago alimentar. Por isso, devemos comer devagar para não exageramos nas refeições, dando tempo ao corpo de sentir-se satisfeito.

A mastigação adequada também facilita o trabalho do nosso organismo em fazer a digestão, pois as enzimas e sucos digestivos se misturarão melhor aos alimentos promovendo uma maior absorção dos nutrientes.

Além disso, o alimento fica em contato por mais tempo com as papilas gustativas nos dando um maior prazer em quanto

comemos. 

Então não se esqueça mastigue bem os alimentos para:

·       Dar tempo ao seu corpo de sentir-se satisfeito;

·       Não comer mais do que deve durante uma refeição;

·       Facilitar o trabalho de digestão;

·       Aumentar a absorção dos nutrientes;

·       Sentir mais prazer comendo.

     Durante o processo de emagrecimento e  manutenção de peso, o que se busca é o efeito de diminuir mecanicamente  o estômago. Através da ingestão de menores volumes e  maior freqüência alimentar.

A cirurgia que diminui o tamanho do estômago veio para provocar esse efeito de forma drástica. Deixa o estômago  com menor capacidade reservatória. E assim a pessoa  acostuma a comer pouco e  se comer mais do que este

novo reservatório comporta, vomitará.

No emagrecimento em que se associa à educação

nutricional aos exercícios físicos o processo de diminuição da capacidade estomacal também acontecerá de forma  lenta, branda e natural.

Leia também Pilates Emagrece?

Living without PAIN!!!

I’ll be translating soon… meanwhile you may try to use a translator… 

Independente do tipo de dor, dor crônica, dor que vai e volta, dor que piora com o frio, dor que piora quando acorda ou que nem te deixa dormir, qualquer tipo de dor ela só é percebida através do sistema nervoso que manda um impulso elétrico (sinapse) avisando o cérebro de que algo está errado.Uma pessoa saudável de modo geral, após uma queda, ou qualquer machucado, vai perceber que passados alguns dias, o corpo  se recupera e regenera, é o famoso médico interior. O tempo de recuperação varia de pessoa para pessoa e claro da gravidade da lesão, quanto mais jovens mais rápida e eficiente é a nossa capacidade de cura.Mas por que em alguns casos ou em algumas situações essa cura natural não acontece?

Depois do que aconteceu comigo (leiam costocondrite – dor no esterno ou costelas e outras dores crônicas) e depois de ler alguns livros sobre diferentes terapias holísticas além de cursos que participei, eu descobri que, uma vez passado por um momento de grande estresse ou grande impacto, o corpo passa a guardar essa energia na memória do músculo. Eu me refiro a uma queda muito forte, a um acidente de carro, a uma experiência de extrema raiva ou frustração, ou pode ser a soma de tudo isso junto. O corpo aprende a se contrair e não sabe mais relaxar aquela fibra muscular, em alguns momentos ele se encontra mais ou menos contraído por isso temos dias com mais ou menos dor, mas ela está sempre lá. Você pode ir a um massagista e vai se sentir ótimo, mas depois de algumas dias, às vezes algumas horas, você já pode perceber o corpo se contraindo e tensionando denovo. Eu costumo fazer uma analogia com uma aula de musculação, após uma hora de treino você percebe o seu corpo cansado e dolorido, mas normalmente após um dia ou dois ele já volta ao normal. Agora imagina você fazendo um exercício 24 horas por dia, sem intervalo de descanso, o músculo vai dorer, ele vai fadigar e reclamar cada dia mais. Mesmo dormindo ele está contraído, por isso é que você acorda com mais dor, durante o dia por estar sempre se movimentando a dor vai passando e minimizando, só no final do dia, que o acúmulo do cansaço somado a uma postura pobre pode levar a um agravamento da dor novamente. Se os músculos ainda não estiverem inflamados, um relaxante muscular poderá ajudar a dormir melhor e fazer com que o corpo se recupere, mas sem um medicamento parece ser impossível se sentir bem. No pior dos casos, nenhum remédio parece poder ajudar.

O que fazer então?

Existem algumas formas para retroceder esse quadro. Algumas pessoas obtêm excelentes resultado com a aplicação da acupuntura ou do Shiatsu, eu consegui reverter o meu quadro respirando e fazendo Pilates, e hoje eu me utilizo da técnica CranioSacral em meus clientes nesse tipo de tratamento de dores sem uma causa aparente com ótimos resultados na aceleração do processo da cura.

Como funciona:

Pela terapia CranioSacral, eu aplico impulsos elétrios através das pontas dos dedos nos músculos contraídos e nervos inflamados. É como se fosse uma massagem bem leve, sem praticamente nenhuma pressão. Todos temos eletricidade correndo pelo corpo através do sistema nervoso, você já esfregou o sapato no carpete e deu choque em alguém? Já levou choque tocando no carro ou já viu aquelas bolas com raios de eletricidade que quando você toca o vidro o raio vai até as pontas dos seus dedos? É a energia da bola se comunicando com a sua energia… e nessa terapia a energia do terapeuta se comunica com a do paciente.  Acontece assim: quando um músculo está muito contraído formando couraças ele tende a comprimir o nervo fazendo com que ele inflame. Já o nervo inflamado vai fazer com que o músculo se contraia mais ainda. É um ciclo vicioso, onde um agrava o outro. Ao aplicar o impulso elétrico nessa região, o nervo vai desinflamando e desinchando, assim como o músculo vai relaxando e deixa de apertar o nervo. O cérebro pára de receber a informação da dor e ela minimiza gradualmente até desaparecer. Com o músculo relaxado ele vai descansar permitindo a sua recuperação e a sua cura.

O problema é que, normalmente devido a dor alteramos a mecânica do movimento para proteger a área lesionada, esse movimento novo compensatório não se corrige sozinho, mesmo após a recuperação da lesão, ele continua errado e fora de alinhamento fazendo com que a dor volte ou que outras dores apareçam com o passar do tempo.

Quando a dor é recente, muitas vezes apenas uma ou poucas aplicações da terapia são suficientes para que o corpo se recupere e se restabeleça.

Porém também existe algo chamado antecipação de dor; é que o corpo lembra que determinado movimento trouxe dor no passado e ele vai contrair antes mesmo de doer, bloqueando qualquer movimento parecido para se proteger. Nesta contração ele pinça o nervo e a sensação é de uma agulhada. A antecipação da dor faz com que o movimento se limite cada vez mais, fazendo com que toda a estrutura fique comprometida devido ao encurtamento de fibras musculares, tendões ou ligamentos. Outro fator comum é a falta de força que acaba sobrecarregando a parte lesionada.

Em todos estes casos, além de aplicação de terapias como a CranioSacral, massagem ou acupuntura é importante fazer o trabalho de fortalecimento do membro e de mobilização para que o corpo volte a se movimentar livremente.

Um cuidado especial deve ser tomado para que tudo seja feito com o mínimo de dor para que o corpo aceite ao invéz de bloquear. Tanto o Pilates como qualquer outro exercício corretamente orientado, mesmo que forem aplicados dentro do limite do paciente poderão enfrentar grandes dificuldades devido a memória da dor, por haver uma grande dificuldade na recuperação, isto é, por não conseguir relaxar após a contração realizada nos exercícios.

O trabalho terapêutico da massagem ou craniosacral ou qualquer outro,  é a chave do sucesso no tratamento, permitindo o relaxamento do músculo que está cansado e tenso logo após a atividade e diminuindo as dores do dia seguinte.

Eu estava bem e de repente as dores voltaram, por quê?

Então, eu comecei a fazer pilates, estava mais forte, tudo ia bem… praticamente não tinha mais dor. Veio Dezembro e resolvi não praticar pilates pois tinha uma viagem marcada e depois vinham as festas do fim de ano… Um mês sem fazer aula e minhas dores voltaram. Era noite de Natal e minhas dores estavam tão fortes que eu tive que me deitar e mal participei da festa. Sem falar que pareciam piores do nunca! Mas por quê? Eu não pude entender… Na verdade eu só fui entender o porquê meses depois, quando meu ex-marido voltou a me perturbar e eu fui perceber que eu havia transferido a raiva e o estresse com relação a ele para o meu dia-a-dia; que eu contraia o meu corpo como eu fazia nas discussões com ele a toda a hora. Eu repetia aquele padrão a todo momento. A minha cura só aconteceu verdadeiramente após conseguir reprogramar o meu corpo para que ele não reagisse de maneira tão intensa nos momentos em que as coisas não estavam acontecendo da maneira esperada.

Por isso eu digo, qualquer terapia isolada não faz milagres, as transformações têm que acontecer de dentro para fora para que a cura realmente aconteça, independente de qual tratamento você escolha. A soma de terapias pode trazer excelentes resultados, a medicina tradicional não deve ser substituida pela medicina alternativa e sim adicionada. É importante encontrar a causa do seu problema, o que realmente está desequilibrando a harmonia da sua vida e trazendo bloqueios, tudo pode ter começado com um acidente de carro, mas pense que, se por causa de um acidente de carro, você perdeu o emprego, deixou de pagar suas contas, sujou o seu nome, com esse estresse acabou terminando um relacionamento… tudo isso vai trazendo mais e mais tensões para o seu corpo, podendo agravar e aumentar as suas dores. Normalmente isso vira uma bola de neve que vai só aumentando. A dor vai limitando as suas atividades, você vai enfraquecendo cada vez mais. Não tem vontade de sair de casa, vai se isolando mundo, perde as esperanças de melhorar porque os médicos não encontram a causa de suas dores, exames e mais exames que não dizem nada… remédios que pouco fazem efeito nos fazendo entrar em depressão…

Cada pessoa tem uma somatória de experiências de vida, de traumas e tensões, o que realmente importa é a forma como esses problemas são enfrentados, como cada um reage frente às situações difíceis. Eu costumo dizer aos meus clientes: é preciso ter fé, independente da sua crença ou religião você precisa acreditar que existe uma força maior ou na Energia Cósmica. Acreditar que as coisas vão acontecer da melhor maneira possível. Dê o seu melhor em tudo e o resto acontece na hora que for para acontecer. Se não aconteceu como você planejava é porque não era para acontecer, assim é a vida… não adianta tensionar o corpo todo ou sentir raiva, ou frustração quando algo está errado ou fora do esperado. Perceber como você reage, como o seu corpo contrai nessas situações é o primeiro passo… Peça perdão pelas suas falhas quando você erra ao invez de se auto-criticar ou deixe de temer pelo que vão falar. Se tem algo que você não gosta ou discorda converse e fale sobre o assunto, segurar e engolir para evitar uma discussão pode não ser a melhor solução pois você vai ficar se remoendo em seus pensamentos, só espere o momento de raiva passar para poder conversar sem gritos e com respeito. Aprenda a ouvir e a perceber as diferenças dos outros, respeitar as diferenças não quer dizer perder seus próprios ideais. Perdoe os erros dos outros, ninguém é perfeito… e não espere por reconhecimento, ajude pelo prazer de ajudar sem esperar um obrigado mas pelo prazer de fazer bem aos outros. Você será muito mais feliz assim! Se quiser conversar mais sobre o assunto me escreva, eu gostaria muito de poder ajudar.

Pare e pense: O QUE EU POSSO FAZER HOJE PARA MELHORAR A MINHA VIDA? Depende unicamente e exclusivamente de mim essa transformação!

Um lar harmonioso e um ambiente de trabalho harmonioso são imprescindíveis à saúde física e mental e a felicidade.

(leiam costocondrite – dor no esterno ou costelas e outras dores crônicas)  

By Tatiana Matsuo.

How to live longer and get older Healthy!

I’ll be translating soon… meanwhile you may try to use a translator… 

Ontem assisti no Fantástico uma reportagem maravilhosa sobre como prolongar a vida e melhor do que isso, viver saudavelmente. Claro que quando ouvi a médica dizendo que, além de não fumar e ter uma alimentação saudável, é imprescindível a prática de uma atividade física vigorosa de 2 a 3 vezes por semana para evitar a diabetes e a obesidade aliada de uma vida alegre e com baixo nível de extresse para evitar a pressão alta… não pude pensar em nada melhor do que o Pilates! Que além de tudo isso vai melhorar a sua qualidade de vida através da melhora da Postura, Equilíbrio, Flexibilidade, Força e Conexão de Corpo, Mente e Alma!

Aqui vai a reportagem na íntegra…

Conheça os segredos para uma vida mais longa e saudável…

(Assista: Os Segredos de uma vida longa! edição do Fantástico 24.02.2008)

Viver mais e melhor, este é o sonho de qualquer um. Novas pesquisas mostram como é possível levar uma vida saudável por muito tempo.

É só olhar para qualquer grupo de idosos: há sempre mais mulheres do que homens. É uma vantagem genética das mulheres, diz a ciência, que, no entanto, tem boas notícias para os homens.

“A genética representa de 25% a 30% dos fatores que interferem na longevidade. Isso deixa 70% que podem ser modificados”, diz a doutora Laurel Yates.

A médica chefiou uma equipe de pesquisadores de um hospital em Boston e, durante 25 anos, acompanhou a vida de 2,3 mil homens. O hospital não permite imagens deles, mas informa que todos tinham mais de 70 anos quando o estudo começou, em 1981.

Ao todo, 970 ainda estão vivos, têm mais de 90 anos e estão bem de saúde. O mais velho está com 104 anos. A doutora Yates explica que há cinco fatores que fazem viver mais.

“Não fumar, não ser obeso, não ter diabetes ou pressão alta e seguir um programa rigoroso de exercícios físicos, duas ou três vezes por semana”, enumera.

Entre esses fatores, há algum mais importante? “Fumar é a pior coisa, porque dobra o risco de não viver por um longo tempo. Além de não fumar, a melhor coisa que se pode fazer é se exercitar, porque a atividade física tem reflexo nos outros fatores: ajuda a melhorar a pressão sangüínea, ajuda a controlar a diabetes e, certamente, contribui para manter o peso”, acrescenta a doutora Yates.

Segundo a pesquisa, os homens que fazem exercício têm de 20% a 30% mais chances de passar dos 90 anos do que aqueles que não têm nenhuma atividade física. E será que há uma época certa na vida para começar a se cuidar?

“Nunca se é jovem demais e nunca é tarde demais. Devemos começar o mais cedo possível. O estudo mostrou homens que começaram a ter bons hábitos depois dos setenta e foram beneficiados. Eles também viveram mais e tiveram mais qualidade de vida”, explica a doutora.

Sempre foi um sonho da humanidade: viver mais e melhor, descobrir a fonte da juventude. Isso, de certo modo, já acontece. Em três lugares do mundo, o relógio biológico de seus habitantes demora mais a dar voltas.

A província de Okinawa, no Japão, tem uma população de um milhão de pessoas. Novecentas delas já passaram dos 100 anos. Para se ter uma idéia de como esse número é alto, confira a comparação com São Luís, a cidade brasileira com mais centenários. A capital maranhense tem aproximadamente a mesma população, quase um milhão de habitantes. Mas apenas 114 velhinhos já completaram um século de vida. A província japonesa tem oito vezes mais.

Sardenha, na Itália, é outra ilha de longevidade, assim como Loma Linda, na Califórnia, Estados Unidos. O fenômeno comum aos três lugares intriga os cientistas. Um pesquisador passou os últimos 30 anos tentando decifrar por que os moradores de Okinawa envelhecem de forma tão saudável. As respostas já começaram a surgir.

Uma das explicações está em um mercado, onde a população se abastece. A dieta do arco-íris tem como base a batata doce de cor púrpura, cenouras e vegetais verde-escuros e amarelos. A comida de Okinawa é antioxidante, desacelera o envelhecimento das células.

“Os moradores de Okinawa consomem mais tofu e produtos de soja do que qualquer outra população do mundo”, destaca o pesquisador.

Mas o que os velhinhos de Okinawa não comem também pode explicar sua longevidade. Em um dia típico, Matsu só consome cerca de 1,2 mil calorias. De acordo com a ONU, o mínimo para um adulto deveria ser duas mil calorias. Os médicos ainda investigam por que essa restrição calórica tem ajudado o povo de Okinawa a viver mais.

Na Sardenha é bem diferente. Os moradores de Ovodda, como bons italianos, não fazem restrições a qualquer tipo de carne ou bebida. Nem por isso a vida tem sido pior ou mais curta. Lá, a explicação é genética.

A família Vacca convive com um exemplo dentro de casa. Maria tem 104 anos.

“De um ponto de vista genético, quando isso acontece, existe uma probabilidade maior de haver doenças congênitas. Mas, por aqui, surgiram resultados positivos, como este grande número de centenários”, aponta o professor Luca Deiana.

Na cidade americana de Loma Linda, a fonte da juventude é especialmente generosa com os fiéis da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Eles vivem de cinco a dez anos mais que o resto da população. Adventistas não bebem, não fumam e seguem a dieta vegetariana recomendada pela igreja.

O cientista Gary Fraser arrisca um palpite: “Pessoas que vão à igreja regularmente, independentemente da fé que praticam, vivem mais, não há dúvidas quanto a isso. E isso não se deve ao fato de se sentarem nos bancos duros dos templos”.

Amostras de sangue e saliva comprovam: os fiéis têm níveis mais baixos de hormônios relacionados ao estresse. Aliás, esta é a característica comum às três comunidades: por circunstâncias diversas, todos aprenderam a controlar a ansiedade. A fórmula para uma vida longa talvez seja essa: não levá-la tão a sério.

fonte: http://fantastico.globo.com/Jornalismo/Fantastico/0,,AA1673514-4005-794356-0-24022008,00.html

Does Pilates make me thin?

I’ll be translating soon… meanwhile you may try to use a translator… 

Depende…Vou colocar três fatores que influenciam a resposta:

  1. Intensidade da aula
  2. Freqüência na semana
  3. Hábitos alimentares

A intensidade e a quantidade de vezes que você exercita numa semana influencia diretamente na quantidade que calorias queimadas, quanto mais intensa a aula e maior a freqüência, mais chances do haver um emagrecimento através da prática de Pilates, apesar de que fundamentalmente, o Pilates somente tonifica e modela o corpo. Ao fortalecer a parede abdominal você irá manter ele contraído, diminuindo a “barriga largada para frente” ou seja, a flacidez abdominal, podendo diminuir medidas de roupa sem perder um quilinho sequer. Se dentro disso você tiver um hábito saudável de alimentação e fizer pilates de 2-3 vezes na semana num nível mais avançado, irá notar que gradualmente o seu peso vai diminuir.

Mas cuidado com os regimes ou com a falta de tempo para comer… Isso poderá fazer você engordar! 

Todo mundo pensa:  Se eu consumir menos calorias do que a quantidade que queimo, irei emagrecer. Porém não é bem assim que acontece. Existe um fator que influencia diretamente na queima de gordura que é o “timing”, isto é, a freqüência ou regularidade com que você se alimenta durante o dia. Acontece que o corpo é uma máquina muito inteligente… você se lembra da época dos homens da caverna? Então, eles tinham épocas onde o alimento era abundante, tinham a caça, os vegetais… e depois vem a escassez do inverno, quando ficavam dias sem ter comida. Provavelmente tenha sido devido a este fato que o corpo ainda pensa assim após muitas horas sem alimento: “puxa, é melhor eu fazer uma reserva de energia para a próxima escassez.” E sabe como é que o corpo faz essa reserva? Em forma de gordura, e o pior, em volta da barriga… aquela gordurinha mais difícil de se perder. Depois, quando você exercita você deve pensar… o meu corpo vai queimar essa gordurinha e vai ficar tudo bem! Mas, olha só, se o seu corpo estiver se preparando para o próximo período de escassez e você se exercitar, ele vai reagir da seguinte maneira:   “hum… melhor eu queimar a energia dos músculos, pois é máis fácil de quebrar a proteína do que a gordura, e deixar aquela reserva da gordura para quando realmente estiver precisando.” Com isso, o seu corpo vai se sentindo fatigado e cansado quando realiza uma atividade física; na verdade ele vai somente enfraquecer podendo até ocasionar lesões! E a gordurinha… ela vai ficar lá, firme e forte!!!

Como assim?

Foram feitas pesquisas sobre atletas de ginastica olímpica de alto nível que tinham o mesmo nível e intensidade de treinamento. As que comiam melhor, com intervalos regulares de 3 a 5 horas no máximo tinham a % de gordura corporal bem menor, além de terem mais ânimo e disposição do que as que ingeriam menor quantidade de calorias e ficavam várias horas sem se alimentar. Então o segredo é, comer de 5 a 6 vezes ao dia, porém porções menores. Tem que ser uma alimentação equilibrada para que o corpo receba os nutrientes necessários para o aumento de massa magra (músculo) e manutenção de uma boa qualidade de vida.

*Comer mais nem sempre é sinônimo de engordar… assim como comer de menos também não é garantia de emagrecer…

Se o seu objetivo é perder peso, comece com uma alimentação saudável, faça Pilates para ajudar a tonificar e modelar o corpo, e pratique alguma atividade cardio-vascular que, além de queimar gordura irá fortalecer o seu coração e pulmão.

By Tatiana Matsuo

How to prevent injuries (Elderlies and Athletes)

I’ll be translating soon… meanwhile you may try to use a translator… 

Como Prevenir lesões?

caindoUma das maiores causas de ocorrência das lesões é a falta de equilíbrio e a execução motora incorreta de movimentos associada a fadiga muscular que diminuem o controle e os reflexos. Isso nos deixa mais vulneráveis em terrenos instáveis e propensos a quedas e contusões. Quando chegamos na 3a Idade temos novos agravantes: problemas na visão, enfraquecimento dos membros inferiores, medicamentos psicoativos, doenças neurológicas, etc.

As lesões podem ser das mais simples como um Entorse ou uma Contusão, ou podem ser mais sérias e dolorosas como uma Luxação, Lesão Ligamentar, Lesão Tendinosa, Tendinites e Bursites, Distensão Muscular, Lesão Meniscal, Condromalácia, Fratura, Periostite, Espondilolistese, Cotovelo do Tenista e outros. 

Melhor do que se recuperar de uma lesão de forma rápida e eficiente é poder evitá-la. Hoje com o avanço da medicina, a maioria das pessoas conseguem se recuperar com um mínimo de seqüelas, já os atletas sofrem por nunca terem tempo suficiente para se recuperarem completamente e acabam reincidindo as mesmas lesões sem falar nos idosos que ao sofrerem uma queda, devido aos ossos mais fracos é muito comum ocorrer uma fratura fazendo com que eles fiquem internados muito tempo para a sua recuperação. Esse período é crítico, pois muitos acabam pegando infecções hospitalares, enfraquecendo tanto que nunca mais voltam a andar ou acabam morrendo depressivos por terem se tornado dependentes da ajuda dos familiares.

Segundo pesquisas 60% das pessoas caem em casa (tapetes, degraus muito baixos ou muito altos, piso desnivelado, brinquedos ou pequenos objetos caídos no chão, fraca luminosidade, móveis instáveis, etc), 30% em locais Públicos e 10% nos Hospitais.

Como evitar acidentes no lar?

  • Praticar uma atividade física visando a melhora do equilíbrio, propriocepção, força e flexibilidade. Assim como fazer a correção do Padrão Motor e a correção Postural.
  • Tornar a área de vivência mais segura (eliminando pequenos obstáculos causadores de tropeços, utilizando pisos anti-derrapantes, etc.)
  • Fazer anualmente exames de visão.
  • Divulgar essa informação para que as quedas sejam evitadas ou minimizadas.

O PILATES é uma forma muito eficiente de prevenção de lesões, assim como tem provado ser excelente na Pós-Reabilitação e recuperação das mesmas por desenvolver a força de forma gradual e balanceada, trabalhando a estabilização da coluna, desafiando o equilibrio e melhorando os reflexos.  Tem como objetivo tornar o movimento mais eficiente e econômico, melhorar a Postura e o alinhamento das extremidades, corrigindo os movimentos errôneos de forma natural, onde os novos padrões são facilmente transferidos ao dia-a-dia.

Vale a pena conferir!!!

By Tatiana Matsuo

Pilates for Pregnancy

I’ll be translating soon… meanwhile you may try to use a translator… 

pregnant-belly.jpg

Eu sou mãe e sei que, a maior preocupação a partir do momento que engravidamos é saber:

  • Será que vou sofrer no parto?
  • Como vou fazer para não engordar muito?
  • O meu bebê está crescendo saudavelmente?
  • Posso fazer força?

Todas a mães têm essas preocupações e não é para menos, ouvimos tantas estórias de gestantes que engordaram e nunca mais foram as mesmas, ou outras que acabam perdendo o bebê por não repousar direito, mães que sofrem tanto na hora do parto, etc. Dá aquele medinho…

Nesse período acontecem um turbilhão de transformações hormonais e emocionais. Pode haver uma grande mudanças de temperamento, ficamos mais sensíveis a cheiros e gostos, e é muito comum muitas mães entrarem em depressão. Mas calma… a atividade física nesse período vai contribuir para a saúde mental e emocional, aumentando a auto-estima… e tudo isso vai passar depois de 9 meses… e no final você não só verá que valeu a pena, como vai querer repetir a dose!!!

Então aqui vão algumas dicas importantes:

  1. Pré-natal. Primeiro passo a tomar… saber de quantos, dias, semanas ou meses você já está e principalmente saber da saúde do feto.
  2. Perguntar ao seu médico se você pode praticar alguma atividade física, se tem algum risco, se a pressão está normal, etc… ele saberá melhor do que ninguém se você está apta ou não a realizar qualquer esforço físico.
  3. Ter uma dieta saudável (ver as dicas da Nutricionista Erica)
  4. Depois de posse da autorização médica procurar uma atividade física especializada, ministrada por um profissional que conhece as precauções e as restrições de uma gestante, assim como as peculiaridades do trabalho que deverá ser feito nesse período.

Alguns cuidados:

De modo geral (não é regra) nos 3 primeiros meses de gestação, o feto está se fixando no útero e nesse período deve-se evitar um esforço abdominal grande e saltos. Existe um risco muito grande de aborto durante o primeiro trimestre de gestação e muitos médicos aconselham a evitar qualquer atividade física. Claro que atletas tendem a ser mais fortes e muitas vezes não param de praticar o seu esporte em nenum momento… Por isso a necessidade do acompanhemento médico para ele poder avaliar se você pode começar e se tem alguma limitação.

Outra informação importante é de que a partir do terceiro trimestre (7o mês), deve-se evitar deitar-se em decúbito dorsal -> “de costas” por um periodo prolongado, pois o peso do feto poderá fazer com que a veia cava seja pressionada diminuindo a pressão arterial, faltando assim oxigênio para a mãe e para o feto podendo ocasionar desmaios ou vômitos.

ATENÇÃO!!!

Evite atividades físicas onde há risco de traumas abdominais como: artes marciais e esportes com bola. O mergulho tbém não é aconselhado devido ao perigo na hora da descompressão podendo causar embolia fetal.

O que o Pilates tem a oferecer para a futura mamãe?

Muito!!! Quando falei de uma atividade física especializada, veja bem, eu quis dizer direcionada a gestante, e o Pilates para Gestantes vai colaborar para o fortalecimento do assoalho pélvico, vai preparar o corpo da gestante para as mudanças posturais (mudança de centro de gravidade e aumento da lordose lombar) minimizando o estresse da coluna e principalmente vai ajudar a manter o equilibrio que nesse período pode ficar prejudicado devido á instabilidade do quadril que está se preparando para o afastamento do osso púbico na hora do parto; os ligamentos ficam mais frouxos e é comum ocorrer problemas de pinçamento do nervo ciático pela instabilidade da articulação sacro-ilíaca. O trabalho respiratório e de controle corporal também irão ajudar na hora do parto, através da melhora da capacidade de contração e relaxamento do assoalho pélvico na hora da expulsão do bebê. E tem mais, o trabalho de fortalecimento do membro superior, irá facilitar na hora de amamentar, e quando for carregar o bebê diminuindo assim o estresse muscular do trapézio. Isso quer dizer, menos dores nos ombros e pescoço!!! Muitas mães sofrem devido ao peso do bebê, onde por falta de força nos braços acabam usando demasiadamente os músculos dos ombros e pescoço para compensar.

Pilates no Pós-Parto

Quem fez Pilates ou qualquer outra atividade física antes do nascimento do bebê tende a ter uma recuperação no pós-parto mais acelerada. A volta às atividades diárias varia de pessoa e irá depender da forma do parto, se foi normal ou cesária. No parto normal as mães tendem a sair do hospital com o mínimo de desconforto. Já a cesária, logo após o fim do efeito da anestesia, a dor do corte irá limitar um pouco os movimentos por alguns dias e deve-se evitar carregar peso ou realizar a contração abdominal até a cicatrização dos pontos internos e externos. Nesse caso, a média de recuperação varia entre 30 e 40 dias. O Pilates deverá começar somente à  partir deste momento para evitar hemorragias internas.

Se você quer emagrecer rápido nesse período: AMAMENTE!!! Você verá com que rapidez o corpo vai voltar a antiga forma se você amamentar o seu filho e ele agradece!

Ao retornar ao Pilates comece gradualmente, respeite o seu corpo, tenha uma alimentação saudável e faça uma atividade cárdio-vascular…

BOA SORTE!!!

By Tatiana Matsuo